segunda-feira, 27 de julho de 2009

Ode a ti, Cabedelo...


Ode a ti, Cabedelo

Quando te conheci, chamavam-te Gala. Praia da Gala.

Com o passar do tempo e com a afinidade que me permitiste usufruir, intimamente deste-me a conhecer que para os amigos, te chamavas de Cabedelo.

Na tua companhia me fiz Homem e hoje o Homem que sou, parte devo ao muito que me ensinaste.

A ser jovial, como nos dias em que permites que todos sem excepção, em ti de deleitem. A ser exigente, como nos dias em que apenas alguns contigo partilham o prazer de em ti deslizarem, ou humilde, como quando me dizes que, hoje não. Nesses dias em que estás de mau humor, chega-me o prazer da tua companhia, o teu cheiro, a tua luz, o silêncio do ruído da tua revolta que me perpassa, paz e sossego.

E naqueles dias em que fazendo jus ao teu nome, te vestias de Gala e connosco dançavas a mais harmónica das danças. Essas recordações que queremos preservar, mas acima de tudo, reviver.

Hoje, a minha prol também na tua companhia tem crescido e se um já quase se fez Homem, outra busca em ti ensinamentos, até se tornar Mulher. Só espero que te preserves assim, igual, para um dia e com cabelos ainda mais brancos, te apresente e me ajudes a cuidar e a educar, aquela que será a terceira geração que em ti aprendeu que sem ti, não seriamos os mesmos.

Obrigado Cabedelo

José Bandeira

3 comentários:

CB disse...

Vocês são tão jovens… Conhecem esse Cabedelo de há 20 anos para cá ! Eu conheci-o quando tinhamos de atravessar uma ponte em madeira desde a Figueira, depois uma outra ponte onde só podia passar um carro de cada vez ...
Quase nasci lá ! O meu sobrinho (o Nuno), quase nasceu lá (mas fomos nascer a Coimbra ...).
Esse Cabedelo viu o meu cão, vindo de outras bandas longínquas, quase fazer surf como vocês. “Pixote ! Anda cá ! Não comas as sardinhas do isco dos pescadores !”O Zé Prof não ia para lado nenhum que não levasse o Pixote ...
Depois levou o Kelly, que corria atràs das gaivotas ...
E quando eu ia, levava o Ulisses, que tinha medo da água ... Mas o Cabedelo É o Cabedelo ! A gente chega à FF e pergunta ? “Pronde vamos ?” Pó Cabedelo!”, é a resposta imediata.
Não há outra hipótese ...
Cristina Bandeira (irmã do Zé Prof e tia do Nuno)

Anónimo disse...

O Cabedelo é sem dúvida muito mais do que uma onda, são memórias, amigos e muitos, muitos bons momentos! Espero que nunca seja apenas saudade...

Nuno Bandeira

Pessoal, vão comentando os posts para isto não ficar "em família" e dar dinâmica a coisa!

CB disse...

Estive lá há dias ... quando vou daqui, não posso de deixar lá ir ! Quase me vieram as lágrimas aos olhos ao ver o descalabro ... e em tão pouco tempo ! (um ano, para mim). Nada a ver com o Cabedelo ... Mas "aquilo" tem a ver com o quê ?? Com umas valentes notas passadas por debaixo da mesa a alguns ?
Deixei um abraço para ti, Eurico, na Escola de Surf ... não sei te o transmitiram ... Mas, em todo o caso, aqui fica um muito grande !

Cristina