sexta-feira, 2 de março de 2012

Esclarecimentos sobre o sistema de bypass

Trata-se de um sistema composto por um pipeline sob o Mondego que transporta a areia com água por bombagem, do lado norte do Porto Comercial para as praias a sul. O Bypass proposto para a reposição da deriva litoral poderá também extrair a areia que se deposita no rio junto ao molhe norte, diminuindo os custos da dragagem da barra. O valor da sua construção, estimado em 15,0M€, poderá não se reflectir no custo efectivo considerando o proveito que pode advir da comercialização de parte da areia actualmente retida na praia da Figueira da Foz. A título ilustrativo considere-se o volume estimado de 1,5Mm3 de acumulação de areia depositada em três anos na sequência das recentes obras de prolongamento dos molhes e 15 €/m3 como valor de referência da areia, para facilmente se constatar que o valor comercial da areia retida supera o custo da construção do Bypass. Para a sustentabilidade da solução há que articular a extracção pelo Bypass com a dragagem e ainda contabilizar a poupança no custo das obras de defesa da costa atacada pela erosão: 3,0 M € em 2012, anunciados pelo INAG, só até à Marinha Grande, quando a frente de mar que sofre do impacto da deriva, a sul do Mondego, se estende numa extensão 6 vezes superior (até ao canhão da Nazaré).




Reunião de trabalho com o Eng. Kevin Filer (TRESBP) em Coollangatta na Austrália, no bypass de Tweed River, Fevereiro 2012

1 comentário:

Margarida disse...

sometimes you have to go halfway around the world to come full circle