sexta-feira, 2 de março de 2012

3 ideias para a Figueira


PRAIA ORGÂNICA

No âmbito do MovimentoMilénio explorámos a possibilidade da renaturalização, importando o sistema de paisagem da orla costeira a sul do Mondego, para a praia urbana da Figueira da Foz. Avançámos com determinação pela necessidade de marcar o debate público com o impacto da erosão que periga a orla costeira, na sequência das recentes obras de prolongamento do molhes do Porto Comercial. O "Concurso Público de Concepção (Ideias) Para a Requalificação e Reordenamento da Praia e Frente de Mar da Figueira da Foz e Buarcos" permitiu-nos o aprofundamento da reflexão sobre o papel da areia na construção da cidade e do território: à dimensão orgânica (associada ao sistema de paisagem da orla costeira), acrescentámos as dimensões estática (mar-de-areia) e dinâmica (deriva litoral).



PRAIA ESTÁTICA

Desde há muito que o espaço do extenso areal tem alimentado a especulação sobre as possibilidades da sua ocupação, desde a urbanização à renaturalização proposta por este concurso público. Possibilidades estas ancoradas numa visão negativista que procura dissimular o erro. Porque não se tapa o sol com uma peneira procurámos reflectir sobre o potencial da praia que temos, convictos da capacidade transformadora das ideias que reconfiguram o erro em vantagem, transformando a areia do mar em Mar-de-Areia, capaz de requalificar a praia, a principal frente urbana da cidade e, ao mesmo tempo, ser eficaz do ponto de vista balnear e dos seus usos associados.


"Casas de Fato dos Pescadores de Buarcos", c.1929, fotografias de autoria desconhecida,

Biblioteca e Centro de Documentação do Centro de Estudos do Mar - CEMAR,

Figueira da Foz - Buarcos



PRAIA DINÂMICA

Esta proposta desenvolve-se a partir da relação entre o lugar e o seu contexto, com base no equilíbrio entre sedimentação e erosão, re-naturalização a norte e protecção do espaço natural consolidado a sul. Integra a complexa dinâmica costeira, recorrendo à capacidade dinâmica da deriva litoral para o redesenho da praia, e avança em direcção ao mar reflectindo sobre o seu impacto no contexto territorial alargado.

Reconhecendo o valor da praia que foi “Rainha”, propomos a reposição da linha de costa estabilizada antes da construção dos molhes do Porto Comercial, garantindo simultaneamente a preservação da costa, a sul do Mondego, com a possibilidade de devolução de areia ao mar. Não partimos da interrogação "O que queremos da praia?", mas sim " Que praia queremos?"... em Buarcos, na Figueira e nas praias do Sul. Link CIDADESURF



rep. in PEREDA, Felipe; MARÍAS, Fernando (ed.), El Atlas del Rey Planeta.

Pedro Teixeira Albernaz, Vista da Enseada de Buarcos e Foz do Mondego, c.1634

La "Descripción de España y de las Costas y Puertos de sus Reinos" de Pedro Texeira (1634), Madrid: Nerea, 2002.


1 comentário:

Margarida disse...

quando um grupo de cidadãos se une para construir a sua cidade e a tornar num lugar melhor, não há como não querer lá viver.