sexta-feira, 22 de agosto de 2014

bypass cá e lá por Gonçalo Cadilhe

" Kirra é uma das melhores ondas do mundo. Por causa da construção de um molhe na barra do rio Tweed, a montante de Kirra, o banco de areia onde se forma a onda desapareceu durante uns anos. A deriva litoral foi interrompida, a onda desapareceu. A semelhança com o Cabedelo, a mãe de todas ondas da Figueira da Foz, é impressionante. Na minha cidade, a construção dos molhes da foz do Mondego criou desequilíbrios titânicos no litoral: a praia da Figueira, a norte do rio, acumulou areia até se tornar um deserto; as povoações a sul do rio, até à Marinha Grande, deixaram de receber areia e todos os invernos são inundadadas pelo mar. A onda do Cabedelo, tal como Kirra, também desapareceu.
A semelhança também funciona por antíteses: na Austrália estes problemas resolvem-se, em Portugal não. A instalação de um bypass através do rio Tweed repôs o fluxo das areias e Kirra recuperou a velha glória; entretanto, a mesma solução de um bypass na Figueira da Foz vai contra os lobbies instalados do cimento, das obras públicas e das dragagens de barras. A onda do Cabedelo continua morta, a erosão a sul do Mondego continua a destruir o litoral, os lobbies continuam a sua actividade ciclópica e ineficaz: mais uma dragagem à barra, mais um molhe pela praia fora, mais uma obra pública a sair dos dinheiros comunitários e a entrar nos bolsos do costume, mais um prego no caixão da paisagem natural da costa portuguesa."

CADILHE Gonçalo, Passagem para o horizonte, Clube do Autor, 2014, pág. 234 e 235.
Infografia por Ana Kaiseler.

Sem comentários: